Felizes os que observam o direito e praticam a justiça em todo tempo! (SI106,3)

quinta-feira, 30 de março de 2017

Na cidade de Uruburetama mulher é resgatada após 16 anos sendo mantida em cárcere privado



Maria Lúcia de Almeida Braga, de 36 anos, foi resgatada após ser mantida em cárcere privado durante 16 anos, pelos próprios familiares. O resgate aconteceu no dia 9 deste mês, em Uruburetama, mas foi divulgado apenas nesta quarta-feira, 29, um dia depois da prisão do irmão de Maria Lúcia. A mulher foi mantida em cárcere privado após engravidar e o bebê que nasceu foi entregue a terceiros.

De acordo com o titular da Delegacia Regional de Itapipoca, delegado Harley Filho, que também responde pela delegacia de Uruburetama, no dia 8 de março os policiais receberam a denúncia de uma mulher que era mantida em cárcere privado. No dia seguinte, o delegado afirma que a equipe foi até o lugar e resgatou a vítima.


"Rompemos dois cadeados e arames para ter acesso ao terreno. Havia três casas e a primeira era a de lá. Havia um terceiro cadeado e quando entramos no imóvel, no quarto que dava acesso à vítima, existia um último cadeado", afirma. No espaço que Maria Lúcia vivia existiam apenas uma rede e outro resto de rede que era usado como lençol.

O quarto não possuía banheiro e o odor de fezes e urina tomava conta do lugar. Maria também não possuía roupas e era mantida despida. O delegado disse, com base nos relatos da própria família, que ela se alimentava duas vezes por dia. A primeira às 10 horas e a segunda às 15 ou 16 horas. Nas poucas vezes que alguém abria o cadeado para dar banho, a mulher tentava fugir. Sem eletricidade ou som, a única fonte de luz era a janela, também fechada com um cadeado. Levada ao hospital de Uruburetama, a mulher foi atendida e está sob os cuidados de uma família local, onde foi acolhida.


Com informações, Jornal O Povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÚVIDA?

DÚVIDA?