Felizes os que observam o direito e praticam a justiça em todo tempo! (SI106,3)

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Cid Gomes poderá ter bens penhorados para pagar R$ 1 milhão e 300 mil

Ministério Público Federal no Ceará pediu à Justiça a suspensão dos direitos políticos e a indisponibilidade de bens do ex-governador Cid Gomes (PDT) no valor de R$ 1.335.700,00, visando ao ressarcimento do Bando do Nordeste por empréstimo irregular. Em agosto de 2014, últimos meses à frente do Palácio da Abolição, Cid utilizou o cargo de governador para conseguir um empréstimo milionário a "baixíssimo juros" para construir um galpão em Sobral, hoje alugado pela Cervejaria Petrópolis. A informação é da revista Época, que será publicada nesta semana, na coluna Expresso, do jornalista Murilo Ramos
"Constatou-se que o empréstimo de R$ 1,3 milhão do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste - FNE obtido em 28/08/2014, pela empresa Corte Oito Gestão e Empreendimento Ltda., criada pelo ex-governador do Estado do Ceará Cid Ferreira Gomes (com 95% de participação na empresa) e pelo ex-assessor parlamentar Ricardo Sérgio Farias Nogueira (com 5% de participação na empresa) se deu mediante diversas irregularidades que evidenciam enriquecimento ilícito, prejuízo ao erário e que atentam contra os princípios da Administração Pública", ressalta o relatório do MPF.
Segundo o relatório, a investigação do caso "se originou a partir de reportagem da revista Época que menciona que a empresa do ex-governador do Estado do Ceará, Cid Ferreira Gomes, teria recebido facilidades do Banco do Nordeste, por ocasião de empréstimo bancário com juros abaixo do valor de mercado para construção de um galpão na cidade de Sobral". Sem poder receber empréstimo em seu próprio nome, Cid decidiu criar a Corte Oito, junto com o então assessor parlamentar na Assembleia Legislativa Ricardo Ricardo Sérgio Farias Nogueira, para receber o empréstimo do BNB. No caso, figuram como réus Cid, Ricardo e mais seis pessoas, além da empresa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÚVIDA?

DÚVIDA?