Ignorar é a forma mais elegante de se defender da maldade. (Fernanda Estellit)

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Trabalhadores da Construtora GORJ paralisam suas atividades



(Plantão Alerta) – Trabalhadores da Construtora GORJ, resolveram paralisar suas atividades na tarde de quarta-feira, após se sentirem prejudicados em terem que receber seus vencimentos através de cheques. Os funcionários que estão construindo o prédio que deverá abrigar o Curso de Medicina das Faculdades INTAS, dizem que são obrigados a receber o pagamento em cheques e quando vão trocar com os agiotas, acabam perdendo 20% do valor. Ao ser indagado, o trabalhador de nome Anastácio disse que se forem ao banco trocar o cheque são surpreendido com a informação que a conta não tem saldo financeiro.

Os responsáveis pelo pagamento disse para os trabalhadores que o problema seria resolvido num prazo de cinco dias mas isso não aconteceu e por isso estão paralisando a obra. Eles denunciam que a PM foi chamada para o local para obrigar os trabalhadores voltarem ao trabalho sob ameaça de ter o dia parado descontado. “Somos pai de família, temos nossos compromissos, trabalhamos para receber”, disse um dos trabalhadores. O trabalhador de nome Tiago, falou que “o que está acontecendo, não está correto, estamos sofrendo com isso, precisamos pagar nossas contas”.

O trabalhador Marcos, falou que tem trabalhadores que a mais de quatro espera em ter a carteira de trabalho assinada. Antônio Edilson Araújo, disse que nunca andou um técnico de segurança na construção, que alguns trabalham sem proteção de bodas, trabalham com o pé no chão. “Depois de algum tempo, é que liberaram capacetes e uniformes. A irregularidade por aqui é grande, alguém tem que se manifestar sobre tudo. Não queremos mais nada, além do nosso pagamento, tem pessoas aqui que mora fora, e paga aluguel e alimentação desse salário. São mais de 300 funcionários aqui. Todos estão parados e só voltam a trabalhar quando for resolvido tudo.

A reportagem do Plantão Alerta, foi procurar os responsáveis da construtora. Luciano Carvalho que é o encarregado do RAG da GORJ, disse que a troca do cheque fora do banco não é orientação da empresa. “ Se eles pegam o cheque e trocam fora no mercado negro, não é culpa nossa. Se eles forem ao banco para trocar, vai ter fundo, caso não tenha fundo, ele se dirige até o financeiro da empresa e o setor financeiro faz a compensação do cheque colocando o depósito na conta do funcionário. Todos são consciente disso.”



Nenhum comentário:

Postar um comentário

DÚVIDA?

DÚVIDA?